Design Thinking: Um novo de jeito de pensar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
Design Thinking

O Design Thinking vai além da estética de produtos ou serviços. No meio dos negócios, esse termo está relacionado com o fazer e pensar de maneiras diferentes e desconstruídas, se pensarmos em modelos antigos e já esquematizados.

O que é?

O termo significa “pensamento do design” ou “pensar como design”, para se referir ao processo de criação crítica e criativa, tendo a possibilidade de organizar as ideias para estimular as tomadas de decisão e a busca por conhecimento. Podemos dizer que não é um método específico e sim uma forma diferente de abordar.

 Através da abordagem se criam condições palpáveis para que o time tenha insights e consiga colocá-los em prática. O objetivo é que esse processo criativo seja construído de maneira coletiva e colaborativa, reunindo todas as ideias possíveis, perspectivas e visões distintas. De acordo com o Portal Sebrae, “A ideia é entrar na vida do consumidor e procurar ditar comportamos e necessidades futuras”.

Nas empresas, é comum utilizar essa  abordagem com o intuito de encontrar soluções para todos os problemas possíveis. Tendo em mente algumas perspectivas, é possível abranger melhor o problema posto. Além disso, na hora da elaboração de novos produtos e serviços ele pode ser utilizado a partir da reunião de todos os representantes da empresa, agregando várias opiniões que podem se tornar estratégias para a resolução das questões.

Etapas do Design Thinking

No primeiro momento é importante compreender o problema que precisa ser solucionado a fundo. O segundo passo é analisar as soluções, escolher a melhor alternativa e planejar a sua aplicação. O processo do Design Thinking é dividido em quatro etapas: imersão, ideação, prototipação e desenvolvimento.

Imersão

Essa primeira etapa sugere um mergulho para compreender o entendimento do contexto e a realidade da empresa. É válido realizar uma analise SWOT (Ferramente de Gestão para Planejamento Estratégico) para entender as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da empresa.

Não se esqueça de avaliar os feedbacks dos clientes, desempenho dos colaboradores, cenário político e econômico. Faça uma análise de toda conjuntura, avaliando, portanto, suas formas de atuação.

Ideação

Nesse segundo passo, após  ter mapeado as soluções, é o momento de reunir a equipe para pensar em ideias e gerar insights: como o nome já diz, é a hora de produzir ideias relevantes para realizar melhorias.

É importante que a equipe se sinta à vontade para falar as ideias sem medo de possíveis críticas: é interessante, também, trazer dados de Big Data, aumentando as chances de sucesso, pois esse método é um conjunto de informações presentes nos bancos de dados de servidores e empresas, você pode utilizar issoa o seu favor na hora de ter ideias e gerar insights.

Prototipação

Depois de coletar uma boa quantidade de ideias e soluções relevantes, é hora de fíltrá-las e escolher as alternativas que tenham  maior chance de sucesso. É muito importante que a escolha seja feita em grupo.

Caso você esteja desenvolvendo um novo produto ou serviço, essa é a hora de investir em uma versão beta, não definitiva. A partir desses testes realizados, você vai chegar a uma conclusão se a ideia está pronta para ser finalizada ou se necessita de mais ajustes.

Desenvolvimento

A ultima etapa do processo é o momento de tirar tudo do papel e colocar para funcionar na prática.

Nessa parte a equipe de comunicação, marketing e comercial, entram em ação: é o momento de vender a solução criada ao público de modo que ela seja bem-aceita. Em qualquer caso, o processo não acaba aqui, é preciso manter um monitoramento constante a fim de identificar pontos de melhorias e avaliar o sucesso da operação.

Empresas que adotaram o Design Thinking

Natura

A empresa precisava desenvolver produtos para cabelo 30% mais barato do que a linha básica que a marca oferecia e, além disso, reduzir em 50% o impacto ambiental da embalagem em relação as outras usadas pela Natura.

Para encontrar a solução, pesquisadores da marca se hospedaram na casa de consumidores para verificar como eles usavam o produto no dia a dia, eles perceberam que as pessoas preferem comprar refis, pois são mais baratos e ocupam menos espaço.

Havainas

O objetivo da marca era lançar uma linha de bolsas na São Paulo Fashion Week daquele ano que aliasse o espírito brasileiro das Havaianas a uma estética mais refinada.

A marca procurou a IDEO, consultoria referência de design thinking, para conversar com pessoas do Brasil, Inglaterra, Austrália e França, afim de entender como a população se relacionava com a Havainas. Dessa forma, conseguiram descobriram que os entrevistados associavam a marca à simplicidade, autenticidade, diversão, alegria e conforto.

Ambev

As vendas da marca Tônica Antarctica não estavam tão boas em relação ao potencial do mercado: uma das hipóteses era de que os jovens não conheciam o produto, mesmo sendo a primeira água tônica do Brasil, lançada em 1914.

Em parceira com a Questtonò, consultoria internacional de estratégia e design, os pesquisadores foram a bares participar de rodas de conversar com jovens. Com essa pesquisa eles descobriram que a nova geração está insegura em relação a vida financeira e profissional, portanto, a partir desse insight, a marca abordou o sentimento de transição para a vida adulta com a tagline “o amargo transforma”.

Dessa forma, percebemos que adotar o Design Thinking como abordagem em sua empresa é uma ação que pode gerar uma enorme diferença no futuro do seu negócio. A partir dessa estratégia é possível encontrar soluções criativas, eficientes e baratas para diversos problemas, desde assuntos internos até a fase de lançamento de novos produtos ou serviços.

Deixe um comentário
Sobre a DnA

A DnA – DESIGN ‘N’ ANIMATION é uma agência digital e produtora de conteúdo audiovisual que trabalha no desenvolvimento de vídeos, branding e marketing digital.

Siga nossas redes
Posts Recentes