Influência do Marketing Cultural na vida das pessoas

Influência do Marketing Cultural na vida das pessoas

Entre mudanças, transformações e atualizações diárias sobre as estratégias de Marketing, conseguimos perceber o Marketing Cultural como alternativa à propaganda tradicional, já que o estabelecimento de vínculos entre produto e consumidor, público e marca, se tornam cada vez mais próximos, devido ao contato direto.

Pensar o Marketing Cultural é também pensar a renovação de uma marca e de suas estratégias de comunicação, já que nos últimos anos temos visto uma saturação dos meios convencionais de publicidade e propaganda. Esse fato é combustível para empresas e marcas se reinventarem e explorarem novas estratégias e esferas da sociedade, tanto na área cultural e social, para conseguirem vender e se propagarem como elemento cultural e simbólico para a vida e o cotidiano de diversas pessoas.

Marketing e Cultura?

Existem pesquisadores e especialistas que consideram antagônicas o uso desses dois termos em uma mesma frase ou conceito, por isso, vamos destrincha-los antes de analisarmos o desenvolvimento desse conceito na atualidade.

A cultura pode ser entendida como um conjunto de realizações, descobrimentos e criações da atividade humana em um determinado local. Sendo assim, podemos pensar a cultura através do setor de exibição, de certa forma, como a arte em suas distintas modalidades: teatro, dança, música ou lírica.

Esse setor fora mantido por muito tempo fora do espectro de gestão, inovação e desenvolvimento — considerando sua missão de se portar como uma instituição à serviço da sociedade e seu desenvolvimento.

O Marketing no que lhe concerne, é a atividade social e administrativa mediante grupos que necessitam e desejam gerar, oferecer e vender produtos ou serviços ao seu público. Desse ponto de partida, a atividade do Marketing é buscar também a satisfação advinda da necessidade das pessoas e consumidores sobre determinado problema ou desejo.

Então se pensarmos na junção desses dois termos em apenas um, podemos esboçá-lo em uma única ideia: a missão contemporânea da cultura de serviço e desenvolvimento perante à sociedade com o salto tecnológico dos últimos tempos, pode ser ligado ao Marketing quando um museu, por exemplo, decide alinhar suas propostas de disseminação cultural de seu acervo através de um site divertido e funcional, introduzindo atividades que contribuam para absorção do conteúdo cultural via digital.

Concomitantemente, pode-se afirmar que a missão do museu é compatível com as necessidades dos consumidores e que ainda assim respeita a integridade do produto cultural.

Marketing Cultural e patrocínio de atividades ou eventos culturais

Por meio do entendimento de Cultural e Marketing, e a junção desses dois termos em um único conceito, pode-se compreender que neste caso, quando falamos de eventos, patrocínio e atividades culturais, o objetivo é atender fins de “marketing” corporativo ou para uma marca específica visando um público-alvo específico através de outras ações que não aqueles usados ​​convencionalmente, mas muito eficaz para alcançar a associação da marca com um determinado evento.

Para que o patrocínio do evento permita associar a marca aos atributos do artista e/ou seu show, gerando assim uma imagem positivo em seus mercados-alvo e, além disso, permite atrair o público interessado ​​em cultura e/ou arte e, também, tornar-se uma ocasião para fazer promoção de vendas através da distribuição de amostras para os participantes do evento.

Para ilustrar esse funcionamento no que tece a difusão da cultural, em matéria do Portal Badalo sobre o 3.º Festival de Máscaras do Cariri: “O evento — uma realização da ONG Beatos e Ato Marketing Cultural —, foi aprovado pela Lei Rouanet e conta com uma rede de parcerias (…) O projeto, idealizado pela gestora de cultura Dane de Jade, tem parceria com o Festival de Máscaras de Quebec, no Canadá.”

Para cada área, uma estratégia diferente

No trecho da matéria citada constatamos os termos cultura, marketing e gestão juntos, em apenas poucas linhas. Para cada área do meio cultural existe uma estratégia de marketing diferente, uma gestão e administração que se propõe na disseminação da cultura para a sociedade.

O marketing cultural, mesmo através dos conceitos dissecados, é uma área que se debruça na criação de uma identidade visual para uma marca. Instituições como o MAM (Museu de Arte Contemporânea), o MIS (Museu da Imagem e do Som), assim como outros, tem seus produtos, sua identidade puramente assertiva e estabelecida.

A marca pode também ser cultura, estilo de vida e costume, no momento em que sua apropriação como parte daquele grupo social a tem como referência. Em um mundo globalizado e tecnológico como o nosso, podemos pensar, em alguns casos, e sem desmerecer ou descartar aspectos regionais de cada espaço, uma cultura e cidadania global.

Qualquer cidadão que resida em São Paulo ou no litoral da Espanha, por exemplo, já deve ter visto em algum momento de sua vida alguma propaganda da Coca-Cola, sendo que a distribuição geoespacial tornou-se irrisória para hoje, não nos atentarmos em uma sociedade interligada e puramente conectada e globalizada. O Marketing precisa e necessita desse estudo e entendimento para se manter viva, ativo e atualizado.

Deixe um comentário
Sobre a DnA

A DnA – DESIGN ‘N’ ANIMATION é uma agência digital e produtora de conteúdo audiovisual que trabalha no desenvolvimento de vídeos, branding e marketing digital.

Siga nossas redes
Posts Recentes